É essa necessidade de falar e falar e falar o tempo todo que me faz, mais uma vez, escrever sobre o que eu sinto.
Não que tudo aqui escrito seja verdadeiro, pode ser que eu somente tenha descrito alguma vontade-fantasia-ilusão.
Nem todos os textos são atuais, retiro alguns de blogs, fotologs e diários antigos.
Não tente entender, não tente compreender.

A verdade e a mentira só existem na sua cabeça.

*

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Um (quase) Romance com Data de Validade


Tudo começou no final de maio, quando eu o vi pela primeira vez e me desdobrei pra descobrir seu nome e de onde ele era. Nada aconteceu depois disso, só um oizinho daqui, um "tudo bem?" de lá...

Tudo começou de novo no dia 28 de Setembro, madrugada do dia 29. Esse dia foi surreal, especial demais pra mim. Estávamos em Seattle, um dos meus lugares preferidos no mundo. Tinha tido um dia incrível e cheio de acontecimentos inesperados, quando de repente acabei em uma balada muito louca, jurava que não ia encontrar ninguém mas o encontrei lá... Com outra. Tudo bem, já sabia que ele era demais pra mim e nem fiquei surpresa de saber que ele estava com uma dançarina. Naquela noite trocamos nossas primeiras palavras além do "Oi, tudo bem?" e isso me revoltou por dentro. Ele estava entrando na cabine de uma menina que dormia com uns dois caras diferentes por semana e foi aí que eu percebi que já gostava dele. Foi aí que eu pensei e fiquei com raiva, como pode um cara tão interessante indo pra cama com uma menina tão vazia como ela? Me caiu a ficha que na real ele não era ninguém especial, só mais um cara que sabe que é bonito e não tá nem aí pra nada.

Tudo começou mais uma vez na noite do dia 5 de Outubro. Era uma balada no crew bar, não tinha nada pra ser especial, mas foi uma das poucas vezes que o vi por lá. Só uma daquelas noites que eu não esperava que nada acontecesse, vesti uma saia com estampa de caveirinhas e estava bem relaxada. Por mais que eu soubesse que ele não prestava, eu não consegui passar despercebida e acabei puxando conversa. Eu nem sei como aconteceu, foi muito estranho, mas acabei indo embora do bar com ele. Naquela noite ficamos até quase 6 da manhã conversando. Eu acho que até fui meio grossa, porque queria provar pra mim mesma que ele era um idiota. A noite foi passando e a conversa fluindo. Na cabine dele só tinha whiskey e conhaque para beber, mas eu só bebo cerveja então acabei não bebendo nada. Descobrimos o mesmo amor por música e o gosto ridiculamente parecido. Teve uma hora que aquela menina que ele estava há alguns dias atrás chegou e ele simplesmente fechou a porta com ela (e mais um tanto de gente) pra fora e só nós dois pra dentro. Rolou um clima, claro que rolou. Mas eu juro que nada aconteceu. Teve uma hora que ele foi buscar alguma coisa na cabine ao lado e eu aproveitei a deixa pra ir embora, não falei tchau. Preciso confessar que foi difícil ficar em uma cabine com um cara tão lindo e não querer fazer nada, o meu medo era tão grande que superou tudo isso.

A gente até se encontrou algumas vezes no restaurante ou nos corredores. Sempre um "Oi" que me tirava o fôlego e disparava o coração, mas eu gritava por dentro "Ele é um idiota", "Ele não presta", "Ele só quer te usar e jogar fora". Os dias foram passando e eu achei que o interesse tinha sido só da minha parte, até que dia 11 tivemos a "Festa do Verde" e ele foi. Sim, ele foi e não parou de me encarar nenhum minuto, mas nunca vinha falar comigo. Até que um amigo dele veio conversar com a minha amiga e ele aproveitou o momento para conversar comigo! Foi muito legal ver tudo isso acontecer, todas as minhas amigas viram também! Mas do nada ele foi embora, desapareceu... Nem era caminho para mim, mas acabei passando na frente da cabine dele e vendo que estava rolando uma festinha por lá. A mesma menina da outra noite estava conversando com um pessoal no corredor e ele estava de pé lá dentro. Ele me viu, mas eu bem fingi que não tinha visto ele e continuei caminhando pra minha cabine. 

Dia 13 de Outubro, Honolulu - Hawaii. Mais um dia para entrar pra história! Era muita emoção de estar pela primeira vez em um lugar desses paradisíacos, que nunca imaginei na vida conhecer. Voltamos para o navio super tarde, tinha festa do branco aquela noite. Encontrei com ele no corredor que gritou de longe meu nome e me perguntou como tinha sido meu dia, ainda fez graça do meu sotaque e me deu aquele olhar matador. Sabia que ia encontrar com ele mais tarde. Dito e feito, ele estava lá no bar. Foi até incomodo ver que ficou me olhando (e eu olhando de volta) mas não nos falamos nunca. No final da noite começamos a conversar e como sempre, grudamos. Ele me disse que ia embora e foi mesmo. Ele sempre fazia isso de ir embora no meio da festa. Ouvi dizer que ia ter uma after party na cabine dele, minha amiga que estava tri-bêbada e estava dando em cima do amigo dele que me disse e queria me carregar pra lá. No final da noite ela realmente me puxou pro corredor da cabine dele, mas não tinha festa nenhuma, muito pelo contrário, ele já estava dormindo e aquela menina estava de novo na frente da cabine dele, conversando com o roomate. Ela não cansa? Naquela hora ficou claro pra mim que não tinha mais nada rolando entre os dois! Enfim, minha noite foi um desastre, minha melhor amiga bebeu demais e acabou caindo da escada. Abriu um belo corte na testa e eu fui a primeira pessoa que ligaram para socorrer e a levar pro hospital. Assim passei minha madrugada inteira na frente dos médicos e seguranças do navio, já sabendo que ela ia perder o emprego e ia embora pra casa, tudo isso só porque ela queria ficar com o melhor amigo desse rapaz que tinha virado o motivo de todos os meus pensamentos. Resumindo, minha melhor amiga perdeu o emprego porque foi burra demais em ir trêbada atrás de um cara. Nessa hora tudo fez sentido pra mim, eu vi que ir atrás desses caras era só atraso de vida e eu tinha que parar, mesmo que nada tivesse começado.

Depois de uma semana conturbada, ainda com a dor de ter falado tchau pra minha melhor amiga, decidi me arrumar e ir ao crew bar. Isso pra mim era uma coisa muito normal, eu estava lá quase todas as noites. Ele não. Nós passamos 5 meses morando no mesmo navio e eu posso contar na mão quantas vezes o vi lá, de repente ele estava lá quase todas as noites também. Conversamos, conversamos, conversamos. Por várias vezes ficamos só nós dois, acho que todo mundo percebia que estava rolando um clima. Aquela menina então decidiu nos assombrar, passava toda hora entre nós dois, entrava no meio da nossa conversa e estava quase pulando no colo dele, que não cansava de deixar ela de lado e puxar conversa comigo de novo. Sabe o que é se sentir querida por um cara tão incrível como ele? Eu não consigo explicar. Sei que me senti especial e pela primeira vez tive certeza que ele estava dando em cima de mim. Ele foi embora e me chamou pra uma after party na cabine dele, mas eu já tinha combinado de ir pra festa de um outro amigo. Fiz de propósito, já estava decidida que não ia acontecer nada entre nós dois porque aquele terreno era perigoso demais. Fiquei 5 minutos na cabine do meu outro amigo e fui dormir, passei na frente da cabine dele e vi que não tinha festa nenhuma, era só desculpinha dele pra me levar embora! Yes! Antes de deixar o bar ele me convidou para sair no outro dia, que por coincidência era o último dia dele no navio. Eu dei o número do meu telefone, mas com aquele medo de esperar por uma coisa que nunca ia acontecer. Eu dei sabendo que ele não ia ligar.

Dia 21 de outubro, passamos o dia todo navegando para chegar a noite em Ensenada - México. Por mais que eu não quisesse, passei o dia todo ansiosa na esperança dele me ligar, mas no fundo sabia que ele não ligaria coisa nenhuma. Terminei de trabalhar, tomei um longo banho, esfoliei minha pele, tirei as sobrancelhas, até fiz cachos no cabelo. Na minha vida já tinha virado uma constante: todas as vezes que eu me produzia esperando encontrar alguém, tudo dava errado e eu acabava a noite chorando. Dessa vez eu fiz isso consciente que nada aconteceria entre nós dois, era um misto de conformismo com consciência. Eu sabia que quando eu me arrumava tudo dava errado e ao mesmo tempo que eu queria que tudo desse certo porque ele era um cara incrível, eu também queria que tudo desse errado por que ele era incrível demais pra não me fazer sofrer. Eu já estava quase pronta e já tinha feito planos de sair com minha amiga, quando de repente meu telefone tocou. 4323 era o número da cabine dele, era ele me ligando mesmo! Atendi com cara de boba e ele me convidou para sair, mais que isso, ele me convidou para sair junto com a turma dele, só o pessoal que trabalhava no mesmo departamento, eu mal acreditei! Tive que dizer que ia esperar minha amiga e ele me pediu para ir no mesmo bar que ele estaria, eu disse que tudo bem. Ele sabe que eu só gosto de tomar cerveja e disse que a gente tinha que tomar uma cerveja juntos, além de uns shots que ele jurava que eu iria amar! Desliguei o telefone e dei vários pulinhos e gritinhos de felicidade! Meu coração batia tão forte que eu nem acreditava que tudo aquilo era verdade.

Fomos para o bar uma amiga e eu, o bar era lindo e tinha tudo pra ser perfeito! Vi que ele estava numa mesa do outro lado, mas achamos melhor sentar só nós duas e curtir a noite, se desse certo a gente ia acabar se trombando. Dito e feito, ele veio até minha mesa, me abraçou e disse que era muito bom que eu tinha encontrado o bar que eles estavam. Só que começou um karaoke, aquele monte de gente cantando música mexicana, foi estranho demais. Eu e minha amiga decidimos procurar outro bar. Estava frio demais, eu tremia, mas não sabia se era de frio ou de medo. Sim, eu tinha medo dele. Fomos pro outro bar e decidimos voltar pro navio. Foi aí que começou outra saga.

Eu sabia que ele ia estar no crew bar, era a última noite dele no navio antes de voltar para a Eslovênia. Minha amiga mudou de ideia e decidiu não ir mais ao bar. Liguei para outro amigo que estava super desanimado, eu não estava com coragem de ir sozinha, ia dar muito na cara e se eu já tinha decidido que não queria nada com ele, qual era a razão de ir até lá, certo? Mas eu infernizei tanto meu amigo que ele acabou indo comigo, mesmo sendo super tarde e o bar já estar quase fechando. Ele estava lá, lindo, vestido de preto do lado do bar. Na hora que cheguei ele atravessou o balcão inteiro e veio falar comigo, me perguntando porque eu tinha ido embora aquela hora e porque tinha demorado tanto pra chegar no bar. Nem deu tempo de responder, ele estava dizendo pro melhor amigo dele alguma coisa do tipo "Olha como ela é linda", fiquei sem ar. Tomei minha cerveja enquanto conversava com meu amigo, quando de repente ele o empurrou pro lado, chegou perto, mas muito perto mesmo de mim e me disse "Estou indo pra minha cabine agora, quando o bar fechar você vai pra lá por que eu quero passar minha última noite com você". Uau. Ele nunca tinha sido tão sério comigo e eu nunca tinha perdido o chão do jeito que perdi naquele momento. Minhas pernas ficaram bambas e eu não sabia o que falar, ele foi embora e meu amigo só me olhava com uma cara de "O que foi isso que acabou de acontecer?". Por mais que eu quisesse muito ir para a cabine dele, eu não via o porque de ir sendo que eu não queria que acontecesse nada. Você acredita mesmo que é possível ir para a cabine de um cara tão gato como e simplesmente dar uns beijinhos? Lógico que não, já sei bem como esse tipo de cara funciona. O tempo passou, o bar fechou e chegou a hora de ir embora. Eu tenho esses dois melhores amigos que são bons demais, daqueles amigos que parecem amigas porque sabem tudo da minha vida. Os dois já sabiam do que estava rolando, quando um deles contou pro outro a conversa que tinha ouvido, bolaram um plano e não me contaram. Fomos embora do bar, tinha uma after party e eu tinha decidido que ia lá e não na cabine do senhor "jogador". Até que um amigo me pegou no colo e o outro bateu na porta, quando ele abriu eu estava lá, rindo e sem graça! Ele não entendeu nada, mas já que estava lá decidi ficar. 

Assim que entrei ele me deu uma cerveja. Pode até parecer bobeira, mas eu achei a coisa mais fofa do mundo ele ter comprado cerveja pra mim, porque sabia que era a única coisa que eu bebo! Não se passaram cinco minutos e dois amigos dele chegaram também, nessa hora ele grudou na minha mão e não me largou a noite toda. Eu estava me sentindo, ele não perdia a chance de me elogiar pros amigos, até que o melhor amigo dele disse "Não aguento mais, ele não para de falar de você", oi? Achei o máximo. A noite foi passando, ficamos ouvindo músicas até que uma hora parecia que só estávamos nós dois, mal demos bola pros outros amigos. Acho que eles entenderam... Falaram tchau e foram embora. Agora era a hora que eu tinha medo, dei um jeitinho de falar tchau, eu só queria correr pra minha cabine. Ele não deixou, olhou bem nos meus olhos, com aqueles olhos azuis tão claros e me disse que queria que eu ficasse com ele. Alguém ia ter coragem de dizer não? No segundo seguinte ele me beijou e foi doce, foi um beijo que eu não queria que acabasse nunca e naquele momento eu desejei que não fosse sua última noite, desejei que isso tudo tivesse acontecido 5 meses antes, quando eu cheguei no navio. A gente se beijou e só se beijou como se o mundo não fosse acabar amanhã, embora fosse. Já era 5 horas da manhã, ele tinha que estar em uma reunião as 6:30 e eu tinha que trabalhar as 8. Nem sei como foi, mas ele me abraçou e eu apaguei. Eu nunca na vida consegui relaxar na mesma cama que outra pessoa, sempre sou a última a dormir, quando durmo. Sei que não vi mais nada, só me lembro dele me abraçando e me tratando como uma princesinha, sem tentar fazer nada demais comigo. Isso pode parecer bobeira, mas em um mundo como o de navios, onde os caras já querem te levar pra cama sem mal te conhecer, quando acontece de um cara ser um gentleman é de se admirar mesmo. Passamos praticamente um mês flertando e na última noite nos beijamos, tão diferente de tudo que já vivi!

Acordei 7 horas, sem despertador e sem ele do meu lado. Fiquei super constrangida por acordar numa cama estranha e sozinha, mas eu já sabia que ele tinha que sair super cedo, só esperava ter saído junto com ele e não ter ficado lá, que vergonha. Me ajeitei rapidinho e corri pra minha cabine, encontrei com um conhecido no meio do caminho que deu um sorrisinho de canto de boca. Dormi mais uma horinha e fui trabalhar, eu até poderia ter ido até o ponto de encontro do pessoal que ia embora naquele dia, mas achei melhor deixar passar e simplesmente guardar dele a memória daquela noite tão bonitinha, nada mais! O dia foi estranho, eu estava feliz demais por dentro por ter vivido uma história tão bonita, mesmo sabendo que ela tinha data de validade e já tinha expirado. Naquela tarde saí na cidade de San Diego, descobri que meu cartão de crédito havia sido clonado e perdi todos os meus documentos, mas mesmo assim não parei de sorrir, pois tinha sido abençoada de ter conhecido um cara incrível, bonito e de bom papo, que me quis e me respeitou. Só isso já me bastava!

Uma coisa que me marcou nessa história toda foi que por várias vezes ele me disse que me encontraria de novo. Mudávamos de assunto, mas sempre acabava com ele me dizendo que ia dar um jeito de me encontrar. Nem as músicas que eu queria tanto copiar eu não consegui, ele ficava dizendo que só ia me deixar copiar no dia que a gente se encontrasse mais uma vez, porque ele tinha certeza que isso ia acontecer. Na minha cabeça isso era só bla-bla-bla, porque nunca nada acontece quando um vai embora do navio e outro fica, principalmente ele sendo de um lado do mundo e eu do outro.

Tudo começou no dia 24 de outubro quando ele me encontrou no facebook...

Só feliz :)


Mesmo que nada aconteça entre nós no futuro, eu já sou feliz demais por você ter entrado na minha vida.

Você foi a única pessoa no mundo que me fez escrever sobre o sentimento de felicidade. Eu nunca tinha vindo nesse blog antes sem estar com o coração partido, mas hoje você me fez sentar na frente do computador e digitar letra por letra sobre essa felicidade que me toma só de pensar na possibilidade de te ver de novo algum dia.

Obrigada. Não por ser o que você é, mas por me fazer sentir o que eu sinto agora. Já valeu!

17 de outubro de 2013


Tem uns dias que são filhos da puta. Não quero baixar o nível, mas tem dia que todo tinha que explodir, pra ver se esse tanto de coincidências e memorias idiotas desaparecem.
Fazem exatamente 22 dias dias que ele foi embora, depois de quatro meses de drama, ele foi embora, um mês antes do que deveria ser.
Acho que eu não fiquei tao triste quando ele foi embora, claro que eu chorei, mas as memórias boas ainda estavam muito vivas, acho que deixei a tristeza passar.
Mas nesses últimos 10 dias a coisa tem ficado extremamente ridícula, pensei nele todos os dias, um depois do outro, quatorze vezes por dia. Hoje foi o pico, acordei pensando nele e em tudo que ele me disse quando foi embora. A foto que a gente tirou na ultima noite estava grudada no meu espelho, até hoje, quando ela amanheceu no chão. Seria um sinal? Já não bastasse essa minha crença estupida em sinais, 

não terminei de escrever o texto nessa data, mas tudo isso já passou!

Uau!


Is it my fault that I can't stop thinking about you?

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Nojo


Sabe, não é o facebook que você não me aceitou como amiga, não é porque você foi embora, não é porque era só sexo quando eu queria que fosse mais, muito menos saudade de verdade.

É porque eu to machucada, me sentido usada demais, pior dos seres humanos daqueles que você literalmente come e joga fora.

Foi isso que você fez, me usou de muleta pras suas carências e agora foi embora pra sua vida americana perfeita, com sua namorada cantora perfeita, com sua família perfeita.

E eu? Aquela idiota que você ligava quando tava carente e quando bebia demais. Aquela ridícula que você vai olhar pra trás e pensar que era uma vaca, porque dormia com você - e só com você -  mesmo sem ter nenhum relacionamento sério, just for fun, lembra?

Mas as coisas vão muito além disso, é uma questão de moral sabe? No fundo a pessoa errada sou eu. Eu que aceitei toda essa situação, eu que achei que podia fazer sexo sem compromisso, eu que descobri que você tinha namorada, quando você fez questão de me esconder isso, fui euzinha que escolhi seguir em frente, achando que eu sabia brincar.

E você nunca passou disso, um jogador, sem limites. Um ator, que merecia um oscar pela arte de enrolar duas mulheres ao mesmo tempo. Egoísta, insensível, falso, quero dar na sua cara.

Quem é que está sofrendo agora? Claro que sou eu. Eu realmente não espero te ver nunca mais na vida, nem sei porque inventei de te adicionar no facebook e tentar "ser sua amiga" do jeito que você vivia falando. Espero que você se foda, do fundo do meu coração.

Cara, você é doente.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

O cara mais lindo do mundo

 
Você tem uma arrogância natural que intimida todo mundo ao seu redor. Talvez não seja arrogância em si, mas só a combinação do seu porte europeu, seu nariz empinado, seu perfume e seu terno perfeito. Alias, tudo que te envolve é perfeito.

Você é o homem mais lindo do mundo.

Você não precisar falar uma palavra pra mostrar o quanto você é melhor em tudo. Só a sua presença já deixa o ambiente tenso, ninguém sabe o que esperar, você intimida todo mundo e sem nenhuma palavra prova por A+B que tudo está sob seu controle. Gente, como pode você ser assim?

Você me olha de um jeito que me deixa sem ar, literalmente. Nunca sei se você está tirando minha roupa mentalmente ou me desprezando por ser só mais uma simples mortal. Você tem esse poder, poder da duvida, de despertar duvida em qualquer um que tem contato com você. Acho que é isso que te torna ainda mais irresistível, a capacidade de ser totalmente indecifrável. Não tem quem consiga ler seus pensamentos, muito menos quem consiga prever seu próximo passo. E isso só torna as coisas mais difíceis, porque esse seu ar de desprezo tem o poder de transformar qualquer surpresa boa em um pesadelo e qualquer expectativa vira desilusão.

Mas não adianta, você ainda é o cara mais lindo do mundo e tudo seria mais fácil se não fosse assim. O cara mais lindo do mundo, aquele que tem o poder de me fazer escrever um texto todinho só pra falar o quanto ele é foda.

Shelter


I still want to drown, whenever you leave
Please teach me gently, how to breathe

And I'll cross oceans, like never before
So you can feel the way I feel it too

Pedido de Amizade


Eu sempre disse que a gente nunca mais ia se ver e você sempre disse que eu não sabia de nada. Entre uma conversa e outra você dizia que a gente tinha que ser amigos no Facebook, acho que me disse isso umas cinco vezes, inclusive na manha que você foi embora.

Já vi gente ter pé atrás e medo de ser rejeitada, mas eu consigo atingir níveis inexplicáveis. Mesmo assim decidi te procurar. Não foi nenhuma surpresa, porque venho bisbilhotando seu perfil nos últimos dois meses, sem nunca ter coragem de adicionar.

"Add as Friend", pronto, adicionado. Ainda enviei uma mensagem bonitinha: "Tinha 15 coisas pra te falar antes de você ir embora, mas esqueci até de falar Boa Viagem e Boas Férias, beijos". Isso foi há exatamente 24 horas e até agora você não me aceitou como amiga, já to conformada com o fato de que você nem deve mais lembrar de mim e vou ser só mais umas daquelas estranhas que ficam pra sempre na lista de solicitações de amizade, que você nunca vai aceitar.

Vazio Inexplicável


Ficou tudo tão vazio desde que você foi embora.
Não quero mais me arrumar, nem ir pro bar, sei que você não vai estar lá.
Fico esperando você abrir a porta do meu escritório fazendo a mesma pergunta de sempre, mas nunca mais vai acontecer.
Nem durmo mais com o celular do lado do travesseiro porque você não tá mais aqui pra me ligar de madrugada, inventando a desculpa mais boba do mundo só pra vir pra minha cabine e dormir de conchinha.
Nem quis mais enrolar o cabelo e me maquiar, de repente parou de fazer sentido.

Nunca imaginei que fosse sentir tanto sua falta.

domingo, 18 de agosto de 2013

Reminds me of you



Tudo me lembra ele. 
A música que eu deixei tocando no repeat, na segunda vez que ele dormiu comigo.
Passar na frente de onde ele trabalhava, é impossível não olhar e procurar por ele.
Pessoas falando Bonjour, ou qualquer coisa em francês...
Todas as letras de todas as músicas que o shuffle do ipod toca tem um pouquinho dele.
Todo homem de terno preto ou nariz empinado, não tem como não me lembrar ele.
Absolutamente tudo me lembra ele.

Queria tanto que ele voltasse pra mim :(

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Will it be?


Finally Love Story

Time marches on never ending,
Time keeps its own time
Here we stand at beginning,
And then goes passing us by,
And I, I, I can dream for us all,
I hope I'm in a better state,
When here and now crumbles and falls and you,
You, you who make worlds collide
I knew you'd come knocking one day,
Unannounced like a thief in the night.

Where do we go from here,
Time ain't nothing but time,
I now have no fear of my fears
And no more tears to cry,

Tomorrow, tomorrow,
Tomorrow means nothing at all
If we don't hear the line,
When today places its call,
And morning, morning,
Morning, won't ever be the same,
Now I won't make the same mistakes,

Time and time again

So tell me how do you do
Finally I meet you
You don't know what I've been through,
Waiting and wondering about you
I had a dream my trip would end up at you,
And now I know paradise


[Brokenheart]

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Allure.


Noite passada seu perfume me tirou o sono. Você dormia feito um anjo, um pouquinho arredio, mas ainda um anjo. O misto do seu perfume com o seu cheiro natural cria uma química louca, despertando em mim coisas que eu nem sabia que existiam. Você dormia e eu te olhava dormir, sem um pingo de sono e bêbada de tanto sentir aquilo, que era só o que você podia me dar, seu cheiro. Eu definitivamente não consegui dormir enquanto a gente dividia a minha cama, mas as 5:30 da manhã, quando te vi indo embora, eu abracei seu travesseiro querendo que fosse você, mesmo sem entender porque não te abracei a noite toda enquanto a gente estava ali, a 3 centímetros de distancia na minha cama, o meu porto seguro que desabava só porque você estava lá. Agora seu cheiro já dispersou, mas essa noite ainda vou dormir abracada com o mesmo travesseiro que tinha sua marca, por que de alguma maneira eu sei que noite passada foi a ultima e que nem seu perfume vai ficar mais em mim, só a memoria de uma noite estranha, na qual eu fiquei bêbada sem beber nada e acordei com ressaca e abstinência de você.

"Ainda tem o seu perfume
Pela casa
Ainda tem você na sala
Porque meu coração dispara?
Quando tem o seu cheiro
Dentro de um livro
Na cinza das horas..."


terça-feira, 13 de agosto de 2013

Mais. Lindo. Aurora Boreal.


E você ainda é o homem mais lindo do mundo. No canto da foto dos amigos bêbados, e você é o homem mais lindo do mundo. Com gorro, no meio da confusão do frio. Escondido embaixo de tanta roupa. No fundo do mar. No escuro. De costas naquela festa chata. Meu Deus, como você é lindo.

Não sei direito o que é aurora boreal, mas acho que deve ser algo lindo que se formava enquanto você era feito. Não sei direito o que é isso que eu sinto por você. Mas como é maravilhoso fumar você, cheirar você, tomar você, injetar você. Calar a boca. Me pergunta uma daquelas coisas para eu dar uma daquelas respostas que você morre de rir. Me deixa pirar no seu céu da boca escancarado. Você se joga pra trás. E só porque você e o mundo inteiro têm certeza do quanto você é lindo, você faz questão de sempre se largar no mundo. É a liberdade que só tem quem é infinitamente lindo ou infinitamente feio. Eu sou mais ou menos, mas nesse segundo, já que comprei sua beleza, sou a mulher mais linda do mundo. Me deixa ser linda vestindo você. Outro dia me peguei pensando um absurdo que me fez feliz.

É triste, mas me fez feliz. Pensei se isso que você faz, de ficar horas comigo depois de ter ficado horas comigo. Se isso é algum tipo de caridade sua. Porque, veja bem. Somos plantas e pássaros diferentes. Eu sou a bonitinha que lê uns livros e vê uns filmes. Você é essa força absoluta e avassaladora que jamais precisará abrir a boca para impor sua vitória. Você coloca aquele moletom cinza com dizeres do surf e eu experimento um guarda-roupas inteiro pra ficar à sua altura. Você é essa força da natureza que deu certo. E como eu não sou mulher de correr da dor, deixo ela entrar aos pouquinhos, esbugalhar meus sentidos, enfraquecer meu orgulho. Quando vejo, estou calada novamente, ouvindo o que você não diz e vendo o que você não faz . Não existe não morrer um pouco quando você chega.

Tati Bernardi

Sério, eu queria ter escrito esse texto. Só porque descreve tim tim por tim tim o que eu to sentindo agora.

domingo, 6 de janeiro de 2013

Melt me down.



Once I wanted to be the greatest
No wind or waterfall could stall me
And then came the rush of the flood
Stars of night turned deep dust